.Filosofias e Terapias.

Abrindo as janelas do meu peito...

10:24

Tá certo dizer?!

Postado por Pedro Martinez |

Tá bom, vamo lá. "A felicidade encontra-se em você, e só em você"; "Ser feliz é questão de escolha...basta ser", "A força está no coração de todo mundo...no nosso fundo"...essas são apenas uma das coisas que devemos dizer a quem está depressivo.

Parece ser o certo e o mais sensato a se dizer...MAS NÃO É.

A primeira batalha contra a depressão é a de admiti-la. Quando você começa a ficar diferente as pessoas percebem e aí você se esconde; aquilo parece te envergonhar. A sua alegria era sempre a mais contagiante e dava um gás pra todo mundo ao seu redor.

Mas ás vezes essa alegria finda, e aí a batalha começa.

Você começa a fingir e esperar...afinal "o tempo vai curar", "seus pensamentos hão de se endireitar", "apoio você tem o meu, se precisar", "pensa bem e isso vai passar". Ouvindo isso a gente guarda ainda mais nossa depressão, e aí sair desse armário é mais terrível.

Pedir ajuda é ser forte mas aí o resultado é inverso para os que estão "normais. Inicia-se asssim uma egrégora positiva mas que não incluí você...aí a ansiedade aumenta. A egrégora precisa de você agindo mas acha-se melhor ficar pensando, então você se sente pressionado a agir rapidamente. "É melhor dar um espaço" mas o silencio trás mais indagações, e não é isso que vai fazer resultado, pelo contrário. Por isso quem admite é um super herói.

O resto do mundo vai reagir com espanto e vai fugir; e você vai achar estranho. Eu sei, eu entendo, quando se está feliz só se quer estar feliz. Quem não tiver terá de se adequar.

Mas será que levar a alegria não é mais benéfico?

Pensar é bom, mas funciona igual a um antibiótico: atinge o que tá ruim mas também atinge o que está bom. Não tem meio-termo. Ao pensar teremos vários focos mas para melhorar a gente precisa de um deles: o melhor.

Ás vezes um segundo olhar pode levar o foco necessário que alguém precisa de um jeito menos doloroso.

Não contribuia com silêncio esse silencio alheio...entregue PESSOALMENTE a sua sonoridade e o seu barulho.

Isso sim carrega um foco muito melhor.

Quem está encarando a depressão é encorojado a assumí-la para facilitar o tratamento. Então, acredito, que nosso papel é doar o nosso tratamento levando movimentação...MOVIMENTAÇÃO. Como uma espécie de prêmio que dirá: "Orgulha-me ver a sua coragem de adimitir, por isso vamos lá reagir AGORA".

Repito: Não contribuia com silêncio esse silêncio alheio...PESSOALMENTE entregue a sua sonoridade e o seu barulho.

05:35

Eu vi um Gênio!

Postado por Pedro Martinez |


O mundo de futebol está de luto oficial. Depois de Pelé nunca houve notícia de uma pedra de ouro tão valiosa quanto aquela...até nascer Ronaldo.

Quem imaginava existir outro monstro da bola? Ninguém.

Ele trouxe o gosto de esperar o belo e inusitado de uma partida, ele fez 90 minutos valerem a pena de serem vistos, ele até deve ter acabado com casamentos - caso algum tivesse sido marcado na hora de um dos seus jogos.

Qual criança nunca quis ser Ronaldo?

Que outro brasileiro apareceu num episódio de Simpsons?

Não são necessárias muitas palavras para explicar um Fenômeno, por isso eu digo, eu sobrevivi a um meteoro.



04:53

Terceiro mandato de Lula

Postado por Pedro Martinez |

Tentamos...


É esse o Brasil que me trás orgulho. Nesse nosso sistema democrata o permitido são apenas dois mandatos seguidos, e sempre foi assim. Mas como a gente gosta de inovar - a gente não já que eu e muita gente não entramos nessa lista, modificamos essa regra nas eleições de ontem. E por favor, não venham se fazer de desentendidos pois será SIM o terceiro mandato do Lula mesmo que não declarado.

Quem é Dilma Roussef? Há quanto tempo ouvimos esse nome? E a melhor de todos: QUEM FOI DILMA?

Para quem foi comandado 8 anos por um metalúrgico (nada contra a classe) ter uma, digamos, rebelde sem causa - leia-se guerrilheira/bandida, no poder é refresco.

Em algum telejornal mesmo ouvi que a democracia havia vencido já que merecidamente a canditada bastante qualificada foi escolhida. Qualificada aonde? Merecida onde? A democracia perdeu, cara. Elegeram uma candidata montada, maquiada que fala o que lhe sugeriram falar, sorri amarelamente quando lhe convém, que é uma indicação do Presidente atual que pegou na mãozinha dela e que quando perguntada sobre algo que ela não sabe julga tudo como "muito importante para o meu Governo".

Nos roubar provavelmente eles vão não importa quem seja nosso Presidente mas que pelo menos ele tenha história e um pouco de capacidade. Quem viu o debate viu que a nossa Presidenta não consegue resumir seus pensamentos e julgamentos em 2 minutos falando. Em seu primeiro pronunciamento ao invés de euforia só um discursinho técnico, pausa na fala como quem se emocionava e surra nos repórteres do CQC. Tudo assim, robotizado e programado ou melhor: tudo Lulalizado.

Quem é pobre vai melhorar de vida, quem é rico vai continuar assim ou enrricar ainda mais...mas e quem tá no meio termo?...

E o que mais me intriga é: porque que tem gente estudada e conscientizada politicamente que tem coragem de votar em um qualquer que surgiu por aí ultimamente? Não sabia que escola particular ensinava como jogar roleta russa.

Eu ainda tinha esperança no país mas agora eu vivo num Brasil que teria no seu perfil os gostos mais banais: Meu programa de TV favorito é Big Brother, Meu doce favorito é cajuzinho e Meus melhores amigos são Chavito e Ahmadinejad.

Kako Antibes era um sábio.

13:45

15 Anos de Bando do Velho Jack

Postado por Pedro Martinez |




Lá em 1995, quando o rock aqui desses matagais era somente um girino nascia o Velho Jack, que nem precisou de médico para vingar. Ele nasceu da união maravilhosa entre a banda Alta Tensão - de onde saíram Alex Batata e João Bosco e o grupo Blues Band - de onde saíram Marcos Yallouz e Fábio Brum. O orgulho dos olhos dos pais corujas mal sabia o quão longe chegariam no cenário musical sul-matogrossense, que naquela época não tinha lugar para o rock quiçá menos ainda que hoje.

Até quando sobreviveria o pequeno Velho Jack?

As pelejas começaram quando em 97, com dois aninhos, Fábio Brum se mudava para o States e deixava o recém nascido. Em seu lugar veio Fábio "Corvo" e o primeiro obstáculo vencido. Então, veio a barra mais pesada, Alex Batata subiu aos céus covardemente assassinado e além da dor, o pequeno Velho Jack perdia o rumo junto com a voz de seu frontman. Como Yallouz mesmo contou: - Mas nós ganhamos o Rodrigo Tozette, que sob olhos desconfiados de antigos fãs que pregavam o fim do Velho Jack, prosperou.

Além desses, adotou o Velho Jack também o tecladista Gilson "Dedos de Borracha" - quem em 2000 deu lugar a Alex "Fralda" Cavalheri, assim o pequenino agora teria um quinteto como seus pais corujas. O Bang-Bang da vida real acabou por assim endireitar o Bando do Velho Jack que dali em diante só cresceria.

Nesse ano de 2010 o pequeno Velho Jack se tornou mais moçinho e completou 15 anos. A grande festa, que no início tinha o endereço da Concha Acústica Meirelles, foi divinamente trocado de lugar por causa da chuva que caía. Era para a festa ser mesmo no Teatro Glauce Rocha as 20h30 do dia 29 mesmo, porque se tivessem programado não sei se poderia ser tão melhor quanto foi.

Era plena quinta-feira, dia da semana, e como os próprios caras do Bando diserram: - Banda de rock brasileira acorda cedo para trabalhar! Mas pra uma banda que conseguiu despertar o gosto pelo rock nos habitantes da mato fechado isso não era problema nenhum. Quem perdeu foram só a aulas da UFMS que foram inteligentemente trocadas pelo grande momento do Velho Jack.

Há muito tempo que eu não via o Teatro Glauce Rocha tão cheio, principalmente numa noite de puro rock n' roll. Era lotação máxima até do lado de fora, que tinha telão e acomodações para o tanto de fãs que quisessem dar parabéns ao antes pequeno, mas agora crescidíssimo Velho Jack.

Novos e antigos fãs puderam acompanhar em dobro todos os ingredientes que fazem do Bando do Velho Jack essa referência da música no Estado: a qualidade musical, seu rock visceral misturado as regionalidades e o carisma muito bem humorado de integrantes que são claramente irmãos.

As músicas executadas foram desde aquelas dos tempos de banda independente até a dos gravados em estúdio de qualidade para venda em massa, inclusive a ótima nova canção 15 Minutos que estará no disco novo.

A energia do Glauce Rocha foi muito mais do que espetacular; qualquer defunto levantaria para dançar na grande noite dos 15 anos. As palmas sincronizadas da platéia ditavam o tempo de várias músicas junto com as baquetas do também aniversariante João Bosco e as palavras erradas que a música fala pareceu-me cantada certinho por todo o Teatro sendo um dos momentos mágicos da emocionante festa.

Se o próprio Rodrigo Tozetti ponderou: A coisa que mais me orgulha nisso tudo é que poderei um dia dizer para o meu filho que eu toquei 30 anos numa banda de rock e foi legal para BARALHO, então eu só posso dizer que eu me orgulho de viver na mesma cidade que o Bando do Velho Jack tocou por 15 anos e eu pude acompanhar. Esse show dos 15 anos assim como todos os outros também foram legais para BARALHO.

05:38

A Big Day

Postado por Pedro Martinez |




O rock tem um pouco de tudo, o rock é a razão deste mundo...

Com os Beatles a paixão juvenil,
com os Stones a rebeldia desbocada,
com o Sex Pistols a raiva sem controle,
com os Beach Boys as risadas divertidas e floridas,
com o The Cure a depressão escondida,
com o Pink Floyd a psicodelia,
com o Guns o perigo constante,
com o Elvis a voz marcante...

e assim por diante...

Parabéns pelo seu dia Rock!

15:59

Invencibilidade da esperança...

Postado por Pedro Martinez |

O que seria da impossibilidade não fosse a esperança? Mesmo que vindas de poucas, ou quase nenhuma alma humana. A esperança é a fé que todo mundo tem - até para aqueles que se dizem não serem pessoas de fé ou nem mesmo acreditarem que exista esta coisa de fé.

- Fé não é religião? - perguntaria uma ingênua criatura viva.

Não. Está intimimamente ligada a preceitos de várias reliões mundo a fora mas ela está aberta a várias frentes de nossa vontade pelo melhor, também conhecida como esperança.

São sinônimas, criatura viva.

SINÔNIMAS.


Com essa bagunça alvoroçal criada pela 1º Copa do Mundo sendo realizada no continente africano, mais especificamente falando, na África do Sul até quem merecia ser lembrada por cada no mundo até hoje - e havia sido esquecida, volta a ser lembrada por nós, ingratos mortais que ainda não alcançaram a sabedoria extrema nessa curta vida.

Nelson Mandela. Eu sabia um pouco da história desse homem, mas sabia o básico, aquilo que se aprende na escola. Sabia que Mandela é um homem respeitadíssimo e cheio de caráter. Mas é claro que não saberia tudo e provavelmente nunca saberei.



Por um filme, aprendi muito mais.

E que filme.


Se Mandela for tudo o que vi - e com certeza ele o é, o Mundo tem a honra de tê-lo por aqui, tenha seus defeitos ou não. É uma honra. De um lista seleta que incluo Ghandi, Madre Tereza de Calcutá, Betinho, Luther King e John Lennon.

Como todos esses Mandela entendeu qual é a fórmula para os problemas de toda a humanidade.

Paz ∞² + Perdão ∞² + Esperança ∞² = Boa vivência de todos uns com os outros.

A hora de sorrir é quando alguém está com a pedra na mão, a hora de perdoar é quando o outro não espera e a hora de vencer é quando ninguém pode acreditar.

Nelson Mandela foi um guerreiro pela luta da liberdade em seu país que inspirou o mundo todo - mesmo que ainda exista tanta indiferença.

Como advogado ele seguia uma grande causa: a de acabar com o regime de segregação racial torpe infelizmente conhecido
como apartheid, que negava aos negros - minoria da população, direitos políticos, sociais e econômicos.

Pensando nos preceitos
de sua profisão ele tinha que defender a nação desse veneno.

Com suas idéias grandiosas, já ativo na política do Partido Nacional - esses apoiantes da política contra a segregação racial, Mandela tomou parte do Congresso do Povo que divulgou a Carta da Liberdade, que foi um documento fundamental á causa do fim apartheid.

Ainda assim, ocorreu o fato mais terrível de sua biografia em prol da paz: foi preso e sentenciado a 5 anos de prisão por viajar ilegalmente ao exterior e incentivar greves e foi sentenciado novamente, dessa vez a prisão perpétua - apesar de ter escapado de uma pena de enforcamento, por planejar ações armadas, em particular sabotagem e conspiração para ajudar outros países a invadir a África do Sul.

ficou enfurnado por 32 anos de sua vida quando foi libertado - com muito apelo do povo que entoava o clamor "Libertem Nelson Mandela!" como uma bandeira, pelo ex-presidente Frederik Willem de Klerk.

Mesmo preso ele nunca desistiu de sua causa e muito
menos perdeu o juízo intelectual tendo até escrito o seguinte para os esperançosos e militantes de sua luta:

Unam-se! Mobilizem-se! Lutem! Entre a bigorna que é a ação da massa unida e o martelo que é a luta armada devemos esmagar o apartheid!


Resumindo a linda história do homem, Nelson Mandela recebeu em 1989 o Prêmio Internacional Al-Gaddafi de Direitos Humanos, recebeu o Nobel da Paz, pelos esforços desenvolvidos no sentido de acabar com a segregação racial e tornou-se ele próprio o presidente da África do Sul, naquelas que foram as primeiras eleições multirraciais do país e governou.

Nas horas vagas até encendiou força de vontade nos jogadores da seleção nacional de Rugby, que conseguiu o histórico feito de vencer a Copa do Mundo do esporte sendo o país sede da competição.

Ele deu esperança ao capitão, que deu esperança ao time, que deu esperança para toda uma nação que ganhou um prêmio valiosíssimo - muito além do troféu ou qualquer outra coisa, o perdão coletivo ao perceber que a união fez a força, mesmo que pra uma causa fútil e assim todos entenderam que a energia positiva é o que valia a pena para vencer no final.




E assim como no filme Invictus, onde o capitão do time campeão de rugby de 1995 devaneia sobre os dias que Mandela ficou enfurnado, eu me pergunto:

- Como alguém que fica preso por tanto tempo ainda consegue perdoar quem o botou trancafiado lá?

Autor: William E Henley
Tradutor: André C S Masini

Do fundo desta noite que persiste
A me envolver em breu - eterno e espesso,
A qualquer deus - se algum acaso existe,
Por mi’alma insubjugável agradeço.

Nas garras do destino e seus estragos,
Sob os golpes que o acaso atira e acerta,
Nunca me lamentei - e ainda trago
Minha cabeça - embora em sangue - ereta.

Além deste oceano de lamúria,
Somente o Horror das trevas se divisa;
Porém o tempo, a consumir-se em fúria,
Não me amedronta, nem me martiriza.

Por ser estreita a senda - eu não declino,
Nem por pesada a mão que o mundo espalma;
Eu sou dono e senhor de meu destino;
Eu sou o comandante de minha alma.



07:46

Inusitado...

Postado por Pedro Martinez |

A música anima até os mais rabugentos...


Subscribe